AUTOR: Francisco Barrios Marco, Fisioterapeuta

A Magnetoterapia é uma das terapias físicas utilizadas pelos fisioterapeutas no tratamento de múltiplas patologias. Dentro da Magnetoterapia englobam-se tanto as terapias com campos magnéticos com ímanes como as de alta e baixa frequência. A Magnetoterapia é uma das técnicas com menores efeitos secundários e pode ser utilizada num grande número de doenças com muito poucos efeitos secundários.

O que é a Magnetoterapia? Basicamente consiste na aplicação de campos magnéticos quer sejam estes contínuos ou variáveis, por meio de ímanes em aplicação contínua ou de magnetos que podem variar a sua frequência segundo o interesse para nos adaptarmos a qualquer uma das patologias que podem melhorar por meio da aplicação desta técnica de terapia física. Hoje em dia produzem-se estes campos magnéticos pulsantes por meio de bobinas enroladas à volta de um núcleo e que controladas por microprocessadores nos entregarão a potência e a frequência que precisemos de aplicar em cada tratamento.

As unidades de força magnética são o Tesla e o Gauss. Um Tesla é um campo magnético que gera uma força de um Newton sobre um culomb que se mova à velocidade de um metro por segundo dentro do campo magnético e perpendicular às linhas de indução magnética do mesmo. Uma vez que o Tesla é uma unidade muito grande, torna-se de uso mais comum o Gauss que é um décimo de milésimo de um Tesla.

A Magnetoterapia supõe a utilização terapêutica de campos magnéticos fixos ou de frequência variável. Hoje em dia estes campos magnéticos são gerados por equipamentos que nos permitem regular a sua frequência de trabalho para deste modo adaptarmo-nos de forma mais eficaz às mais diversas patologias.

Todos na Terra estamos submetidos à influência do seu campo magnético que oscila aproximadamente entre os 0,3 e os 0,5 Gauss. Por meio da experiência nos voos espaciais pode observar-se que quando o ser humano se afasta deste campo magnético o corpo começa a descalcificar-se. A solução era simples: submeter o corpo a campos magnéticos mais intensos do que os da Terra para assim conseguir um processo de regeneração. Isto foi o que aconteceu e deste então que se tem utilizado a Magnetoterapia para tratar processos de perda de massa óssea e muitos outros. Podemos dizer que um equipamento de Magnetoterapia melhora o trofismo local e favorece assim os processos de recuperação.