AUTOR: Francisco Barrios Marco, Fisioterapeuta

DORES MUSCULARES

Por dores musculares entendemos um tipo de picada muscular num músculo ou grupo muscular que foi submetido a um esforço não habitual e por causa disso o músculo encontra-se ainda com um elevado grau de tensão. Podem também ocorrer dores musculares de forma secundária a um traumatismo que não tenha sido bastante intenso para produzir uma lesão, mas o suficiente para irritar o tecido muscular. Implicam uma ligeira disfunção da musculatura já que esta vê-se incapaz de responder aos esforços intensos com normalidade. Se as tratarmos num prazo de dois ou três dias, desaparecerá o incómodo.

Todavia, pensamos que a sua causa pode também ser um traumatismo leve. Na maior parte das vezes a sua aparição deve-se à realização de uma actividade física excessiva para a condição física de quem sofre das pontadas. É possível que também encontrarmo-nos em boa condição física e sofrer de dores musculares já que podemos estar muito bem preparados para a natação e não para correr, ao passo que outra actividade desportiva pode fazer surgir este problema.

Tratamento:

1.-Termoterapia profunda ou superficial. Isto inclui a aplicação de hipertermia com diatermia capacitiva, infravermelhos, sauna, banhos quentes, radarterapia e banhos de sol. Podemos também incluir ar quente, compressas e mantas quentes.

2.-Massagem suave sobre a zona com o objectivo de relaxar o tecido muscular e de favorecer a drenagem.

3.-Electroestimulação com programas relaxantes, de drenagem ou defatigante. Podemos inclusivamente combinar primeiro um programa de massagem relaxante e passar depois para um programa de drenagem. Como é óbvio, em ambos os casos trabalharemos com intensidades que sejam sentidas de forma agradável. Se trabalharmos com intensidades altas poderíamos activar a sensação de dor produzida pelas dores musculares. Se formos vendo a intensidade e não aparecerem moléstias poderíamos também terminar com um programa de vascularização e com uma potência mais elevada.

CÃIBRAS.

Pode acontecer em forma de um espasmo muscular que implica uma contracção dolorosa forte e involuntária da musculatura afectada. Isto produz um encurtamento importante e mantido com dor aguda. Podem ocorrer cãibras tanto ao realizar actividade física como durante o repouso nocturno. Costumam produzir-se de forma isolada sobre um grupo muscular como os gémeos e estranhamente de forma bilateral.

Podem ocorrer devido a um fraco aquecimento e a paragens bruscas após um treino intenso, especialmente quando realizamos uma actividade física elevada em relação às possibilidades. Também após esforços de isometria muito intensos é possível que apareça uma cãibra muscular. A carência de sais minerais suficientes pode também provocar o aparecimento de cãibras musculares.

Tratamento:

1.-Electroestimulação com TENS rápido para diminuir de imediato a sensação de dor. Podemos continuar com TENS atrasado que favorece a segregação de endorfinas e permitirão que a dor permaneça reduzida.

Mais à frente utilizaremos um electroestimulador, um elemento de prevenção de lesões, melhorando a circulação local deste grupo muscular em concreto e, após os treinos, dedicar algum tempo a um programa de massagem relaxante.

2.-Se for possível, no momento em que aparecer a cãibra realizaremos um alongamento do músculo que se encontrar encurtado. Podemos também realizar alongamentos selectivos deste músculo após os treinos para evitar o aparecimento de cãibras no futuro.

3.-Termoterapia profunda e superficial com hipertermia, infravermelhos, banhos quentes ou compressas.

4.-Massagem intensa sobre a musculatura afectada com fricções profundas.

CONTRACTURAS.

Consideramos que um grupo muscular ou músculo padece de uma contractura quando este se mostra endurecido e com dor na palpação. Ao alongar a musculatura dói e, se pedirmos ao paciente que realize uma contracção voluntária e a tratarmos, volta a aparecer a dor. Considera-se que é o excesso de substâncias tóxicas, entre elas o ácido láctico, as responsáveis por esta dor. Também o excesso de trabalho muscular pode provocar uma intensa fricção entre as miofibrilas e gerar una irritação que causa dor. A sensação dolorosa manifesta-se já antes do treino ou aparece de forma progressiva mas intensa após o mesmo. Não devemos dedicar-nos com boa intenção a massajar a zona imediatamente já em muitas ocasiões uma contracção muscular intensa durante o exercício ou posterior ao mesmo é um mecanismo de protecção e, se não tivermos experiência pode parecer-nos uma contractura, o que na realidade será talvez uma pequena rotura fibrilar e massajá-la pode piorar o diagnóstico.

Tratamento:

1.-Electroestimulação com TENS usando um programa de vascularização para melhorar a circulação local, provocar um efeito de varrimento das substâncias tóxicas acumuladas no músculo e posteriormente o programa descontracturante facilitará a diminuição da sensação de dor. Utilizaremos o electroestimulador com o programa descontracturante quando tiver passado o período agudo de dor intensa e graduaremos a intensidade para que, em caso algum, resulte em incómodo. O programa de vascularização pode utilizar-se também como uma electroestimulação preventiva. Podemos continuar com TENS endorfinico. Deste modo a dor continuará diminuída.

2.-Num primeiro momento será a aplicação de frio. Posteriormente a hipertermia, infravermelhos, hidroterapia.

3.-Masagem de drenagem para favorecer a eliminação do ácido láctico e outros resíduos do esforço físico. Massagem relaxante suave.

4.-Indiscutivelmente recomendar-se-á repouso e quando a dor tiver passado, treino gradual e alongamento progressivos.